terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Hitler em Alterosa


Alguns boatos históricos têm causado a curiosidade dos alterosenses, teria mesmo Adolf Hitler morrido em Alterosa? Essa é uma das afirmações do livro de um escritor chamado Romero Garcia. A dúvida teve início com a desconfiança do arqueólogo Nick Bellantoni, que ao analisar os fragmentos do suposto crânio de Hitler achou que eram muito frágeis para ser de um homem e prontamente suspeitou que pudessem ser os restos de uma mulher jovem.
Segundo comentários de alguns sites, em face da desconfiança, foram feitos testes de DNA nos restos de crânio, o que confirmou que não poderiam ter pertencido ao líder nazista. A descoberta lança dúvida sobre as circunstâncias exatas da morte de Hitler e poderia forçar a retificação de todos os livros de história, que contam que Hitler teria morrido em um bunker com um tiro na cabeça, depois dele e a mulher engolirem cápsulas de cianureto no dia 30 de abril de 1945.
Agora o que tem causado curiosidade na população é a versão de que Hitler teria morrido em Alterosa, em 1987, aos 98 anos com o nome de José Divino da Silva. E tem mais: Alguns habitantes de Alterosa teriam afirmado até terem conhecido o seu Zé: - "Gente boa por demais..." Entretanto, muitas contradições cercam a polêmica, como outras versões para a mesma história.
Um escritor argentino chamado Basti afirma que Hitler foi para a Argentina com vários nazistas num comboio de 20 submarinos. Depois de chegar ao país, viveu primeiro na Patagônia e depois na província de Córdoba, no centro. De acordo com a tese, Hitler escapou com sua companheira, Eva Braun e morreu anos depois na Argentina. Mas, o mais incrível talvez seja a possibilidade de 20 submarinos nazistas terem cruzado o oceano em plena 2ª Guerra, contudo ao se tratar de Literatura, tudo é possível. Isso talvez explique o pensamento de Romero, é possível que não se trate de um livro dissertativo, mas de um livro literário.
Abaixo trechos do livro de Romero Garcia: "(..)A Argentina , Uruguai e Paraguai estavam sendo vigiados de perto por caçadores de nazistas, então a staf de Hitler o aconselhou a se esconder no meio do Brasil, que era país da força aliada,mas com dimensões continentais, e nos anos 40 quem achava quem neste país, e que na Alemanha nazista já se fazia experimentos com células tronco, cirurgia plástica, etc... e sim ele tinha um sósia que mataram ao lado de Eva Braun, e depois atearam fogo nos dois e colocaram o anel de Hitler no sósia e ai.....Morreu em Alterosa- MG com o nome de José Divino da Silva."
Em outra tese ele afirma que em Aiuruoca, MG, existe um túnel que sai em Machu-Pichu no Peru. Se o que diz é fato ou boato, ainda não sabemos, mas que desperta bastante discussão, isso desperta...
Fabiana de Oliveira Ribeiro


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Descritores x Habilidades do CBC


Para facilitar a vida de meus colegas professores de Português: Descritores x Habilidades do CBC

DESCRITORES E REPECTIVAS HABILIDADES DO CBC _ PROF FABIANA DE OLIVEIRA RIBEIRO

Nº do descritor
Habilidade no CBC



1
PROCEDIMENTOS DE LEITURA
D1 Identificar o tema ou o sentido global de um texto
3.3. Reconhecer a organização temática de um texto, identificando
- a ordem de apresentação das informações no texto;
- o tópico (tema) e os subtópicos discursivos do texto.

D2 Localizar informações explícitas em um texto.

3.4. Reconhecer informações explícitas em um texto.

D3 Inferir informações implícitas em um texto.

3.5. Inferir informações (dados, fatos, argumentos, conclusões...) implícitas em um texto.
D5 Inferir o sentido de uma palavra ou uma expressão.
4.1. Inferir o significado de palavras e expressões usadas em um texto.
D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato.
9.1. Reconhecer e usar as fases ou etapas do discurso de relato em um texto ou sequência de relato.


2 IMPLICAÇÕES DO SUPORTE, DO GÊNERO E/OU ENUNCIADOR NA COMPREENSÃO DO TEXTO
D6 Identificar o gênero de um texto.
1.1. Reconhecer o gênero de um texto a partir de seu contexto de produção, circulação e recepção.
D7 Identificar a função de textos de diferentes gêneros.

1.7. Reconhecer o objetivo comunicativo (finalidade ou função sociocomunicativa) de um texto ou gênero textual.

D8 Interpretar texto que conjuga linguagem verbal e não verbal.
5.0. Integrar informação verbal e não verbal na compreensão e na produção de textos, produtiva e autonomamente.
5.1. Relacionar sons, imagens, gráficos e tabelas a informações verbais explícitas ou implícitas em um texto.


3 RELAÇÕES ENTRE TEXTOS
D18 Reconhecer posições distintas entre duas ou mais opiniões relativas ao mesmo fato ou ao mesmo tema.
6.11. Identificar relações de diversidade (contradição, oposição) ou de semelhança (aliança e/ou complementação) entre posicionamentos enunciativos presentes em um texto.

D20 Reconhecer diferentes formas de abordar uma informação ao comparar textos que tratam do mesmo tema.

3.10 . Comparar textos que falem de um mesmo tema quanto ao tratamento desse tema.














4- COERÊNCIA E COESÃO NO PROCESSAMENTO DO TEXTO
D11 Reconhecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc.

27.14. Identificar marcadores linguísticos de organização textual em uma sequência expositiva ou argumentativa e seus efeitos de sentido.
28.4. Reconhecer recursos gramaticais de coesão nominal (introdução e retomada temática) em um texto ou sequência textual.
30.5. Identificar, em um texto ou sequência textual, efeitos de sentido de construções causais, consecutivas, concessivas, condicionais, finais, temporais, comparativas, proporcionais, conformativas, modais e locativas.
D12 Estabelecer a relação entre causa e consequência entre partes e elementos do texto.

12.2. Reconhecer e usar estratégias de organização da argumentação em um texto ou sequência argumentativa.
30.5. Identificar, em um texto ou sequência textual, efeitos de sentido de construções causais, consecutivas, concessivas, condicionais, finais, temporais, comparativas, proporcionais, conformativas, modais e locativas.

D15 Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a sua continuidade.
28.1. Reconhecer recursos lexicais de coesão nominal (introdução e retomada temática) em um texto ou sequência textual.
28.2. Reconhecer o valor coesivo de repetições e substituições lexicais em um texto ou sequência textual.
D16 Estabelecer relações entre partes de um texto a partir de mecanismos de concordância verbal e nominal.
24.0. Reconhecer e usar mecanismos de concordância verbal e nominal, produtiva e autonomamente.
D19 Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que compõe a narrativa
8.1. Reconhecer e usar as fases ou etapas da narração em um texto ou seqüência narrativa.
D14 Identificar a tese de um texto.
12.1. Reconhecer e usar as fases ou etapas da argumentação em um texto ou sequência  argumentativa.
27.5. Elaborar, para exemplos apresentados, a tese de uma sequência argumentativa.
D26 Estabelecer relações entre a tese de um texto e os argumentos oferecidos para sustentá-la
12.1. Reconhecer e usar as fases ou etapas da argumentação em um texto ou sequência  argumentativa.

D27 Diferenciar as partes principais das secundárias em um texto
3.1. Relacionar título e subtítulos a um texto ou partes de um texto.
3.2. Justificar o título de um texto ou de partes de um texto.
3.3. Reconhecer a organização temática de um texto, identificando
- a ordem de apresentação das informações no texto;
- o tópico





5- RELAÇÕES ENTR RECURSOS EXPRESSIVOS E EFEITOS DE SENTIDO
D23 Identificar efeitos de ironia ou humor em textos.

4.1. Inferir o signifi cado de palavras e expressões usadas em um texto.
D28 Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão
4.2. Reconhecer recursos lexicais e semânticos usados em um texto e seus efeitos de sentido.

D21 Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso de pontuação e de outras notações

8.7. Reconhecer e usar recursos linguísticos e gráficos de estruturação de enunciados narrativos.
27.17. Pontuar corretamente uma sequência expositiva ou argumentativa, considerando a(s) estratégia(s) de organização textual empregadas.
D25 Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso de recursos ortográficos e morfossintáticos
6.4. Interpretar efeitos de sentido decorrentes de variedades linguísticas e estilísticas usadas em um texto.
8.7. Reconhecer e usar recursos linguísticos e gráficos de estruturação de enunciados narrativos.


6-  VARIAÇÃO LINGUÍSTICA
D13 Identificar marcas linguísticas que evidenciam o locutor interlocutor de um texto
19.1. Reconhecer a organização temática do texto de um livro didático ou técnico a partir de indicadores gráficos (parágrafos, destaques, fontes especiais, numeração, etc.) e linguísticos (marcadores textuais).
19.3. Ler textos de um livro didático ou técnico, recorrendo, conscientemente, a conhecimentos prévios, inferências e instruções formais, semânticas e discursivas de marcadores textuais.
22.4. Avaliar o uso de variedades linguísticas e estilísticas em um texto, considerando a situação comunicativa e o gênero textual.

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget