quinta-feira, 28 de julho de 2011

Uma família inusitada


Todos conhecem bem a rivalidade existente entre cães e gatos, entretanto, temos aqui uma história diferente e inspiradora. Esse cachorrão, com cara de mau, na foto acima é o Pitoco. Ele veio morar em nossa casa há um mês atrás. Estávamos em busca de um cão valente para proteger nosso sítio em Alterosa e que ajudasse no manejo com o gado, então encomendamos o Pitoco, descendente de um bacet e uma pincher.
Estávamos em pleno inverno de junho de 2011, a ausência da mãe e dos irmãos prometia muitas noites de choro, mas foi aí que nos surpreendemos.

Essa outra aí é a Mamãe Bichana, ela tem dois filhotinhos, quando ela conheceu o Pitoco, foi amor à primeira vista, ela o adotou. Deste dia em diante os quatro passaram a dormir juntos e logo o Pitoco relembrou o sabor do leite materno, passou a mamar na gata.


O espírito maternal falou mais alto que a rivalidade entre as espécies, talvez no futuro o cachorro possa vir a morder a gata ou apresentar-se uma ameaça para seus filhotes, mas eles se ajudam mesmo assim. Eles dormem, comem, tomam sol, brincam, vivem juntos. Os dois gatinhos nem ficaram enciumados em dividir a mãe com um intruso. Nessa relação não há preconceitos, não há disputas e embora as diferenças entre eles sejam grandes e históricas eles preferem manter o olhar na necessidade que um tem do outro e convivem em paz.
Diante disso nos perguntamos, será o humano um animal verdadeiramente racional? Nós deveríamos desenvolver mais nosso instinto de convivência e também mantermos o foco em o quanto o outro é importante para nós. Por mais que tenhamos diferenças, tenho certeza que elas não são maiores do que as existentes entre um cão e um gato, então por que não aprendemos com os animais a vivermos em paz?

Assista aos vídeos e confira

EPTV fazendo matéria sobre essa rara convivência lá em casa, no São Pedro:




quarta-feira, 13 de julho de 2011

Um homem centenário


Joaquim Claro Terra é o nome do homem mais velho de Alterosa, no dia 17 de outubro de 2011 ele completará 100 anos de vida, gozando de uma boa memória e planejando seu próximo século.
Um homem que assistiu às duas Grandes Guerras, lutou e venceu o câncer por três vezes, recuperou-se de uma perna quebrada recentemente e agora deseja começar uma nova vida após seu centésimo aniversário. Viúvo há 16 anos, fala em arrumar uma nova esposa e quem sabe mudar de casa.
Seu Joaquim Neca, como é conhecido, passou 80 anos de sua vida trabalhando no campo, no Bairro Pinhal, município de Alterosa, onde criou seus 15 filhos juntamente com sua esposa Olímpia Tomaz Terra, com quem teve um casamento feliz e chegou a completar bodas de prata, ouro e diamante.

BODAS DE DIAMANTE



TEREZA, SR. JOAQUIM E NETA EUZA
Sr. Joaquim orgulha-se de ser religioso, nunca ter dado mau exemplo para os filhos e de ser querido pelos trabalhadores que empregava em sua fazenda.  Afirma, ainda, que o segredo para sua longevidade está no feijão mexido com torresmo que comeu durante toda a vida, no entanto seu segredo talvez esteja no cumprimento do 5º Mandamento: “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra, que o Senhor Deus te dá.” Êxodo 20:12, conforme relata sua 11ª filha, Tereza Tomaz Terra Martins, o Sr. Joaquim sempre foi um bom filho.  Sempre preocupado com os pais e um admirador do pai, Manuel Flávio Terra, sempre os honrou e respeitou, procurando fazer tudo que estava ao seu alcance para cuidar de seus progenitores. Um exemplo aconteceu quando seu pai passou a não conseguir mais cuidar de suas lavouras, então o Sr. Joaquim, que já tinha muito trabalho em suas próprias, passou a cuidar das de seu pai também, e mantinha sempre cheias as tulhas da família, afim de que não faltasse alimento na casa de seus pais.
Hoje seu Joaquim Neca é o único sobrevivente dos seus 14 irmãos, mora na cidade de Alterosa com sua neta Luciane Martins Terra, alimenta-se bem, inclusive pediu peixe para o almoço de hoje. Sua descendência já alcançou o número de 200 membros, entre os quais seis são tetranetos. Seu Joaquim é um guerreiro e campeão, pois chegar aos 100 anos de idade em tempos tão cheios de contratempos é uma maravilhosa vitória, ele é exemplo para todos, principalmente aos jovens, que muitas vezes são seduzidos por tantas ilusões e acabam esquecendo-se de cuidar de sua saúde e de honrar àqueles que lhes deram a oportunidade de viver. Esperamos que ao atentarmos para uma história de vida tão simples e bonita com essa, todos possamos repensar nossas atitudes e vida e valorizarmos aquilo que realmente é significativo.

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget